quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Sou o embaraço em pessoa.

Olá pessoas!
O blogspot de hoje é um pouco diferente. Hoje vou falar sobre todos os meus momentos embaraçosos e o porquê de eu ter a certeza que sou o embaraço em pessoa. 
Vai ser um post mais descontraído e com caráter cómico para podermos todos dar uma gargalhada.
Vamos a isto?


Toda a gente já tropeçou numa pedra na rua, toda a gente conhece alguém que já levou uma bola na cara durante uma aula de física ou que já caiu em locais públicos.
Agora pergunto-vos se conhecem alguém que tenha pés que gostem de lhe pregar partidas, porque eu sei que tenho. Parece que por vezes eles têm vida própria, tropeçam um no outro, às vezes ao pousar o pé no chão quase que parece que desloco o tornozelo, outras, sabe-se lá porquê, não lhes apetece pousar na totalidade no chão e torce de maneira a que apenas a parte de fora esteja realmente apoiada no chão. Acho que o meus pés têm uma ciência diferente da dos outros. O mais engraçado? É que numa caminhada de meia hora isto é capaz de acontecer até 5-6 vezes, sempre quando me encontro em espaços bem populados, qual seria a graça se assim não fosse não é verdade?
É difícil não encontrar pessoas que não tenham sido vítimas de uma bola na cara, mas isto uma duas vezes no máximo, mas se eu fosse a contar todas as vezes que isto já me aconteceu, perderia a conta. Bolas de basketball, bolas de ténis, bolas de andebol, quase de tudo um pouco. O resto do corpo também não se livra, pernas, barriga, braços, tronco, rabo, peito. Eu sou um autêntico alvo humano nas aulas de educação física, portanto, como devem prever, estou mais ansiosa pela universidade do que qualquer outra pessoa.
Também passei à frente de pessoas na caixa registradora sem querer e quando me apercebi, pedia mil desculpas. Dar dinheiro a mais quando estou pagar compras e mais parece que não sei contar.
Sou aquele tipo de pessoas que se ri nos piores momentos possíveis, sem me conseguir controlar, o que acabou por me expulsar da sala, mais do que uma vez.
Perguntarem-me as coisas mais básicas e eu congelar sem saber a resposta. Perguntarem-me as horas, eu congelo e fica a parecer que nem sei vêr horas. 
Grande parte das vezes não consigo dizer "seiscentos" como uma pessoa normal, então numa aula de português a ler um texto que fazia várias referências ao ano mil seiscentos e qualquer coisa o próprio professor interrompeu a minha leitura, porque já nem ele conseguia aguentar o riso. Eu pronuncio algo parecido com "cheichentos". Também gostava de saber porquê e como.

Acho que esta lista de embaraços vai ficar por aqui, não que eu não tenha mais, porque tenho, mas não tinha intenção de escrever um testamento sobre este tema, mas se por acaso gostarem de rir à minha custa, podem sempre pedir por uma segunda parte deste post que o farei com muito gosto.
Até à próxima!

4 comentários:

  1. Como te compreendo, eheheheh :D
    Quando andava na secundária, levei com uma bola de basquetebol na cara porque um colega, gostava de mandar bolas para trás, sem ver o que fazia.

    E um dia andávamos a correr no ginásio e havia umas cordas enormes com um nó na ponta, penduradas no tecto (que serviam para subirmos por elas acima) e esse mesmo colega resolveu balançar uma dessas cordas e onde veio o nó da corda bater....na minha cara e fez-me uma ferida no interior da boca.

    Cair também é comigo...uma vez foi de cabeça, nas escadas de um centro comercial.....que vergonha!!!

    Como vês não estás só! :D
    Beijinho grande <3
    http://demantanosofa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico mais aliviada por saber que existem mais pessoas como eu, já estava a começar a sentir-me sozinha, haha!
      Beijinhos

      Eliminar