quarta-feira, 22 de abril de 2015

"E se...?"

Se são adolescentes como eu, devem conhecer aquela situação do "E se...?". Aquela situação, em que se questionam tanto sobre alguma coisa, que chegam ao ponto de não viverem a vossa vida de tanto pensar. "E se não resultar?" "E se me humilharem?" "E se eu não conseguir?"
Eu perdi a conta de quantas vezes eu quis fazer algo, mas depois de tanto pensar acabei por não o fazer, porque ganhei medo. Tive medo de arriscar e hoje estou arrependida de muitas coisas que não fiz, tenho pena das oportunidades que perdi e arrependo-me de não ter agido espontâneamente. E sei que muitos de nós fazem exatamente o mesmo! Pensam tanto sobre algo, que acabam por simplesmente deixar alguma oportunidade fugir. 
A vida deve ser vivida espontâneamente. A vida não é algo que tenha um guião. A vida é um livro que escrevemos todos os dias e queremos que este livro seja entusiasmante e que vale a pena.  Eu tenho a noção que tanto eu, como muitas outras milhares de pessoas não têm uma vida mais emocionante, simplesmente por ganharem medo de fazer alguma coisa, porque pensaram demasiado no assunto.
A Filosofia diz que todas as nossas ações e escolhas devem ser pensadas, elegidas conscientemente e com a noção de todas as consequências. E as pessoas levam isto demasiado a sério. Esta teoria, por vezes, parece ridícula! Que graça tem ter a vida toda planeada, sem algo espontâneo, sem fazer algo que nunca pensariam que conseguiriam fazer?
Não pensem tanto nas coisas, apenas façam-no! Sejam vocês mesmos sem estar sempre a pensar se não corre bem, ou se alguém vos vai julgar. Querem exprimir o vosso amor a alguém, mas pensam que vão levar uma nega? Apenas façam-no! Querem levar alguma peça de roupa para a escola, mas têm medo que vos julguem? Apenas façam-no! Querem fazer algo radical e que nunca fizeram, mas têm medo que algo corra mal? Apenas façam-no!
Não pensem tanto no que pode ou não acontecer. Vivam a vossa vida, porque só vão ter uma oportunidade para a viver! Arrisquem, vivam espontâneamente, e, acima de tudo, não dêem atenção às pessoas que vos julgam, porque é impossível satisfazer toda a gente e, além disso, o que fazes ou deixas de fazer não é do interesse delas!


Espero que vos tenha ajudado de alguma maneira e lembrem-se: "Quem não arrisca, não petisca."

Sem comentários:

Enviar um comentário